terça-feira, 22 de setembro de 2009

NOSSOS DIAS




Ensina-nos a contar nossos dias


Pammella Carvalho (*)




“Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio” Salmo 90.12


Quando pensamos nos “nossos dias” qual a imagem que fazemos? Nosso trabalho, nossa universidade, nossos relacionamentos, nosso ministério, não é mesmo?


Estamos vivendo dias em que o tempo tem sido muito valorizado, porque mesmo com toda tecnologia para facilitar nossa vida, estamos mais ocupados, estamos com a “agenda sempre cheia”, corremos de um lado para outro sem parar.


Provavelmente não era essa a imagem que Deus tinha para o homem quando criou o jardim do Éden, ou muito menos quando disse “olhai os lírios do campo”. Se chegássemos para uma pessoa e perguntássemos: “- Você já olhou como as flores estão belas hoje?” Provavelmente essa pessoa não terá olhado e diria algo como: “- Aonde eu vou ter tempo para parar e ficar olhando as flores?”


E nessa correria esquecemos da eternidade. Esquecemos que essa vida é passageira. Esquecemos que tudo que conseguirmos aqui, bens, títulos, cargos, universidades, família, ministério, tudo isso ira passar.


Talvez seja uma enorme frustração para alguém pensar em eternidade quando está prestes a terminar um curso universitário, ou assumir um cargo em um concurso o qual estudou tanto para passar. Para outros é desesperador pensar que não vai entrar no ministério, ou não vai para a nação que Deus colocou no seu coração, porque Jesus vai voltar antes, ou até mesmo, o pesadelo para as meninas seja pensar em eternidade antes de se casar.


Quando pensamos em eternidade, pensamos na volta de Jesus, pensamos no céu, nos anjos, e isso tudo deveria ser maravilhoso para todos nós, deveríamos ficar entusiasmados com o arrebatamento, termos prazer em saber que temos uma eternidade. Mas não é o que está acontecendo.


Soube de um pregador que falou a uma moça que estava com seu casamento marcado: “- Imagine se Jesus voltar na hora do “sim”, na hora do beijo?” Ao que ela prontamente respondeu: “- Ele não está nem doido!”


O que é isso? Que tipo de Cristianismo estamos vivendo? Um cristianismo passageiro, de uma vida medíocre nessa terra?


A vida eterna é um presente maravilhoso que Deus tem para seus filhos. É lá que voltaremos a ter tempo para olhar os lírios do campo. É por causa da vida eterna que não desanimamos em meio às tribulações, é por causa dela que andamos em fé, é por causa da promessa da vida eterna que queremos que as pessoas conheçam Jesus.


Nosso tempo aqui na terra é minúsculo, é “como flor, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo”. Quando entendemos o que é eternidade, o que é viver eternamente com Deus, sem choro, sem dor, sem problemas; desejaremos ardentemente a sua vinda!


Valorizamos demais os diplomas, os empregos, os casamentos, os ministérios, porque não aprendemos a amar a vinda de Jesus. Não que essas coisas sejam sem importância. De modo algum, assim como você, eu desejo muito ter isso e sei que têm valor diante de Deus, mas se comparadas à eternidade são coisas insignificantes.


Um dia vamos passar, e por mais que nossas vidas aqui tenham abençoado as pessoas e servido a Deus, teremos só a eternidade, e precisaremos amá-la.


Não podemos esquecer de Amar a vinda do Senhor!


Lemos o salmista pedindo a Deus para nos ensinar a contar os nossos dias. Contar os nossos dias é remir o tempo. É aproveitar o tempo de nossa vida para alcançar um coração sábio.


Quem é sábio faz com excelência o que chega as suas mãos para fazer, quem é sábio corre com perseverança a carreira que lhe está proposta; ama e aguarda ansiosamente a vinda de Jesus, porque sabe que a eternidade é infinitamente melhor que essa vida.


Existe uma coroa reservada para aqueles que amam a volta de Jesus e vivem suas vidas sabiamente.




“Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já agora a coroa de justiça me esta guardada... não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda”.
II Timóteo 4.7-8




Quando entregarmos nosso tempo nas mãos do Senhor aproveitaremos bem nossos dias aqui, tendo a certeza que breve estaremos na eternidade com Deus.


Que possamos orar como Moisés no Salmo 90: “Senhor, ensina-me a contar os meus dias, para que alcance um coração sábio”.

1 comentários:

Adna Charife disse...

Dou Glória à Deus poe essa palavra, Antônio! Sábias palavras vindas de um coração cheio de Deus.
Realmente, nós, os crentes em Cristo, precisamos estar alertas para não vivermos a Síndrome de Marta tirando os olhos da eternidade.
Costumo dizer que SÓ O QUE FAZEMOS PARA O SENHOR E PARA O SEU REINO TÊM PESO ETERNO. É o que vai ficar...O que não nos será tirado ("Entretanto, pouco é necessário ou mesmo uma só cousa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada." Lucas 10: 38 a 42).
Deus abençoe sua vida!

Adna, de Rio Branco, ACRE.

Postar um comentário